A nossa história

Um princípio

O ponto de partida para a formação deste grupo missionário foi um encontro de jovens que teve lugar na diocese de Leiria-Fátima, em Agosto de 1999. O referido encontro foi promovido por um grupo de jovens da diocese francesa de Crétèil que tinha feito uma experiência missionária na diocese de Menongue, em Angola, no ano 1998. Tendo o desejo de partilhar a sua vivência em Missão, pensaram os seus responsáveis em fazê-lo na diocese de Leiria-Fátima, zona de origem dos pais desses jovens que havia umas décadas tinham emigrado para França.

Os jovens de Leiria-Fátima que participaram neste encontro ficaram tocados pela partilha feita pelos seus congéneres de Crétèil e decidiram iniciar, também eles, um grupo missionário com o apoio do Serviço de Animação Missionária da Diocese de Leiria-Fátima. De imediato se disponibilizaram oito elementos do grupo para dar à Missão o tempo das suas próximas férias de Verão. Quando ainda estava em estudo o local onde deveria ser realizada a experiência missionária desejada, o grupo recebeu a visita de D. Benedito Roberto, bispo da diocese do Sumbe, com a qual a diocese de Leiria-Fátima já tinha mantido alguma ligação através da presença de um padre “fidei Donum”. O bispo do Sumbe manifestou o desejo de reactivar a relação entre as duas dioceses e convidou o grupo que estava em preparação para ir em Missão a ir à sua diocese e aí realizar o seu trabalho missionário.

Este primeiro grupo que partiu em Missão no ano 2000 subdividiu-se em dois: quatro elementos foram para a Gabela, tendo sido acolhidos pelos padres da Boa Nova, com os quais colaboraram; os outros quatro ficaram no Sumbe, na casa das irmãs Filhas de Santa Maria de Guadalupe; desenvolveram o seu trabalho em colaboração com esta comunidade e com vários serviços e estruturas da diocese.

No balanço desta primeira Missão, ficou o desejo do grupo continuar a sua caminhada e o convite de D. Benedito para que a experiência voltasse a repetir-se nos anos seguintes. Assim, todos os anos até 2005, por um período de dois meses, esteve um grupo de voluntários de Leiria-Fátima na diocese do Sumbe, colaborando nas áreas da animação pastoral, saúde, educação, promoção feminina, formação profissional, animação juvenil, entre outras.

Ao longo das seis edições deslocaram-se a Angola 25 pessoas em missão de voluntariado. A partir de 2003 o trabalho missionário começou a ser desenvolvido no Posto Missionário do Gungo.

Ao longo destes anos foi nascendo a ideia de geminar as duas dioceses através de um acordo de colaboração mais estreita e continuada. No entanto, entendeu-se que seria bom deixar que o tempo amadurecesse essa ideia para que ao vir a concretizá-la ela pudesse ter condições para ser sustentável. Assim, os anos em que se realizou o “Projecto ASA” foram decisivos para o aprofundamento mútuo das duas dioceses e um discernimento à luz do Espírito para que aquilo que se viesse a fazer não fosse apenas da vontade dos homens mas, principalmente, da de Deus.

Durante estes anos houve troca de correspondência entre os dois bispos diocesanos e também ocorreram alguns encontros pessoais dos quais saiu sempre o desejo de ir aprofundando a relação entre as dioceses e o apoio ao grupo Ondjoyetu na acção que desenvolvia.

A Geminação das Dioceses

Voltar ao Topo

A assinatura das Geminação entre as duas dioceses ocorreu a 25 de Março de 2006, data simbolicamente escolhida por ser o dia da Solenidade da Anunciação e, nesse mesmo dia, em 1984, o Papa João Paulo II, em Roma, ter feito a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima.

Contudo, a Geminação só foi tornada pública a 23 de Abril desse mesmo ano num acto que decorreu no Santuário de Fátima e em que estiveram presentes os bispos de Leiria-Fátima e Sumbe, respectivamente D. Serafim de Sousa Ferreira e Silva e D. Benedito Roberto. No texto da Geminação está previsto que esta tenha a validade de dez anos, renováveis.

Como consequência directa da geminação, e como já estava previsto, em Agosto de 2006 partiu para Angola uma equipa constituída por dois padres e três leigas a fim de assumir o acompanhamento da missão do Gungo de forma permanente.

Na mesma linha, em Janeiro de 2010 chegou à diocese de Leiria-Fátima um padre do Sumbe, tendo-se integrado como vigário paroquial de duas paróquias. Pode consultar o texto da geminação aqui